“As rosas da resistência nascem do asfalto”
Marielle Franco.

Negra, advogada e ativista dos direitos humanos 

Para nós, mulheres, pretas e periféricas a política não é apenas uma escolha, mas uma condição para  vivermos num mundo com dignidade. Durante toda minha vida fui submetida a diversas situações de violência, desde meu nascimento até vida adulta. Hoje, luto por todos que vieram antes de mim, mas, principalmente, para que aqueles que virão depois, e compartilharem da mesma cor, gênero, orientação sexual e localidade que eu, não sofram as opressões de uma sociedade racista, patriarcal, LGBTQIfóbica e elitista. 

"Luto por um direito  à vida  negra 
feminina   periférica  "

"Vamos contar a história que ninguém conta sobre nossos corpos, lutas e existências"

Para nós, pretos, mulheres, jovens de periferia, artistas, LGBTQIA+, a única coisa que restou foi esperança de dias melhores e a luta contínua contra as injustiças. O MOMENTO É AGORA, precisamos nos organizar e mobilizar nossas estruturas! É preciso entender o voto como ferramenta democrática de transformação e reparação histórica, em que o candidato eleito trabalhe sempre visando as necessidades coletivas de uma cidade.

Chega de assistencialismo político! Chega de pessoas que se dizem salvadores da pátria, mas só governam em favor de seus próprios benefícios.

Precisamos de representatividade na política. Já passou da hora de termos pessoas no poder que entendam o que é ser do povo. É fundamental garantir e conquistar direitos, mas para além disso, destruir as estruturas racistas e colonizadoras nesse território.